BrasilcomZ - Nunca seremos - Uma voz de resistência e indignação

BrasilcomZ - Nunca seremos - Uma voz de resistência e indignação

Exatamente no ano de 1987,  há quatro décadas foi lançada a canção da banda brasiliense Legião Urbana continua sendo um hino.
Nascida na ditadura militar ainda reflete a indignação com o os desmandos em nossas instituições dirigidas pelo capitão Messias.

Três acordes e uma frase dita por um senador na tribuna.
Foi assim que em 1978, Renato Russo, escreveu os versos de Que país é este?.
Nos quarenta anos desde sua criação, a letra que abordava o desrespeito à Constituição, o descaso com as terras indígenas e problemas sociais, como violência e miséria
sobreviveu à ditadura militar e ganhou novo contexto atualmente.

Pasmem, hoje infelizmente afirmamos que o conteúdo que fazia parte desta canção voltou a ser nossa realidade e as pessoas cantam com mais indignação.
Eu tenho uma profunda tristeza em pensar que Renato Russo que escreveu contra os militares estaria sentindo com pessoas pedindo a volta da ditadura.
Com certeza, Renato estaria defendendo as vias democráticas.

Voltamos a ser a república das BANANAS como éramos conhecidos antigamente.
O Brasil volta a passos largos ao que foi a quarenta anos atrás, e tudo isso devemos ao Capitão Messias, o salvador da pátria, paladino da justiça que atualmente
não passa despercebido mundialmente pelos seus desmandos, por pregar um governo autoritária que governa para os que se emocionam com o hino nacional, a bandeira,
o superávit primário, e se revoltam quando a TV mostra que o Brasil vai mal.

No fundo, são capazes de sentir por toda aquela gente pobre, preta, periférica, comunista ou com opções sexuais diferente das DELES que não podem adorar a bandeira
do Brasil, seu hino, só por não concordar com a atual ideologia macabra do governo.

Eles têm certeza, certeza absoluta garantida por Deus que a maioria são doentes que não merecem ser fuzilados mas que precisam apenas de tratamento, da leitura de
Olavo de Carvalho ou deixar de ser vagabundo.

Gente que foi dominada por uma conspiração diabólica, comunista, bolivariana, gayzista, feminazi que se instalou na América Latina e se reúne no Foro de São Paulo, entre MacBooks e camisas do Che Guevara.

Mesmo com tanto retrocesso em tão pouco tempo, sou otimista que apesar da situação ser muito ruim, ainda temos a democracia e as instituições ao nosso lado,
ao lado do povo que acorda de manhã para trabalhar e esperar um BRASIL melhor que com certeza nunca será escrito com Z.

Que país é este.

Nas favelas, no Senado

Sujeira pra todo lado

Continua a mesma coisa ou melhor piorou e muito:
Caso Marielle, caso rachadinhas, caso C.P.M.I Fake News/Gabinete do ódio, caso Queiros, militares no comando de ministérios, perseguição à imprensa, ataques às universidades,
nepotismo, aparelhamento de órgãos do governo (P.FEDERAL/ABIN etc.) censura da cultura.

” Ninguém respeita a Constituição

Mas todos acreditam no futuro da nação”

O presidente da República participou de atos em Brasília, que exigiam a volta do Ato Institucional nº 5, Intervenção militar, fechamento do congresso, prisão dos ministros do STF e
o deputado federal Eduardo, filho do capitão Messias disse:

“Cara, se quiser fechar o STF sabe o que você faz? Não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo. Não é querer desmerecer o soldado e o cabo.”

“Que país é esse?

Que país é esse?

Que país é esse?”

Brasil com Z, uma VOZ de resistência e indignação, da facada milagrosa que o Messias sofreu, presidente sem projeto de governo, sem ministro da saúde em plena pandemia,
sem ministro da educação em uma nação com 11,3 milhões de analfabetos, uma taxa de 6,8% de pessoas acima dos 15 anos que não sabem ler ou escrever.

No Amazonas, no Araguaia-ia-ia

Na Baixada Fluminense

Mato Grosso, Minas Gerais

E no Nordeste tudo em paz

68.000 mil mortos e 1.700.000 mil contaminados no mento da criação deste texto no Brasil, segundo pais com mais casos e mortes no MUNDO.
Infelizmente nada está em paz no pais da CLOROQUINA”

Na morte, eu descanso Mas o sangue anda solto

Manchando os papéis Documentos fiéis

Ao descanso do patrão

Documentos no pais da FAKE NEWS, da supressão de informações sobre o COVID, Cadê nosso patrão???? Está com o COVID??? Isso e uma gripinha e usar máscara e coisa de viado, isso sim e o descaso do patrão.

Que país é esse?

Que país é esse?

Que país é esse?

Que país é esse?

O BRASIL que nunca deverá ser subjugado por qualquer nação, isso não na mente do MESSIAS.
“Brasil e Estados Unidos acima de tudo. Brasil acima de todos” afirmou ao final de seu discurso em cerimônia de homenagem na cidade de Dallas (Texas)

“Terceiro mundo se for Piada no exterior Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas Dos nossos índios num leilão”

O coronavírus no Brasil está sendo enfrentado de forma desastrosa, com irresponsabilidade, omissão, fanatismo e falta de empatia por parte do governo
do Capitão Messias Bolsonaro, citado como “desgoverno” em matéria publicada por Vera Magalhães no jornal O Estado de S. Paulo.
As observações levantadas sugerem que estamos passando por um momento de desapreço pela ciência e desprezo pela vida.
O Capitão Messias vetou uma série de medidas destinadas à saúde de povos indígenas, quilombolas e demais comunidades tradicionais durante a atual pandemia.
O presidente vetou 16 itens de um projeto de lei aprovado pelo Senado em 16 de junho de 2020.

Que país é esse?
Que país é esse?

Que país é esse?

Que país é esse?

SONHAMOS com um país assim

“Sonho com uma sociedade reinventando-se de baixo para cima, onde as massas populares tenham, na verdade, o direito de ter voz e não apenas o dever de escutar…
uma sociedade, onde a exigência de justiça não signifique nenhuma limitação da liberdade e a plenitude da liberdade
não signifique nenhuma restrição do dever de justiça” Mestre Paulo Freire.

Deixe seu comentário